Simples como amar - def. intelectual/superproteção

Carla Tate é uma moça de 24 anos, com leve deficiência intelectual, que após anos morando em uma escola especial volta para casa cheia de sonhos e ambições. Sua necessidade de realização pessoal se expressa de formas que sua mãe é incapaz de aceitar. Quando se apaixona pela primeira vez, Carla desafia a mãe para provar que, apesar das aparências, ela tem capacidade de ser uma mulher adulta e responsável, que merece amar e ser amada.

Neste trecho, Carla foge de casa por se sentir pressionada pela mãe. Após viajar 320 km ela volta para a escola especial, na qual morou por 10 anos. Ao buscá-la, os pais têm um diálogo com o diretor da escola, no qual ele afirma que eles devem parar de superprotegê-la, estimulando- a a conquistar a independência.

O trecho permite discutir a necessidade de estimular a independência e a autonomia de pessoas que apresentam alguma deficiência, indo além de sentimentos como pena e superproteção, confiando mais na capacidade de superação delas.

Ficha técnica: (The Other Sister), 131min, 1999, EUA, Direção: Garry Marshall.

Palavras-chave: deficiência Intelectual, relações familiares, riscos, respeito, independência, autonomia, persistência, dignidade, expansão de horizontes, inclusão educacional, desafios.

  • 21378
  • 1163
fechar

Copie o código abaixo e insira em sua página:


Ou compartilhe através dos sites:

Fechar

Mais Informações